De Rosis questiona projeto no Centro de Cultura Patrícia Galvão

O gasto de mais de 700 mil reais com o Centro de Cultura Patrícia Galvão foi levado a plenário pelo vereador Rui De Rosis, que questiona o gasto com o projeto da obra que não tem prazo para iniciar nem verba destinada.

“Fiquei momentaneamente feliz ao ler o jornal de sábado, que traz a seguinte manchete: ‘Centro de Cultura terá reforma inédita – Santos fará primeira grande reformulação’”, comentou De Rosis no início de sua fala.

O questionamento do vereador refere-se ao contrato firmado com a empresa Katinsky, no valor de 731 mil reais, pago com o Governo do Estado que, segundo reportagem, recebeu aval para criar e modificar o que desejar, o que impossibilita prever o custo estimado da obra.

O projeto deve ser entregue em um ano. Porém, a reforma do Centro, que abriga Teatro Municipal Braz Cubas, Teatro Rosinha Mastrangelo, Museu da Imagem e do Som, Hemeroteca, Galerias de Artes, além da sede da Secretaria de Cultura, não tem prazo para início.

“Eu, se contratasse um arquiteto para fazer um projeto para minha casa, daria obviamente a ele um direcionamento daquilo que desejo e do quanto eu posso gastar. É claro que para buscarmos a verba é preciso ter um projeto elaborado, mas se não há nenhuma perspectiva de verba, não seria mais plausível, talvez, gastar estes mais de 700 mil em reparos emergenciais no local? Precisamos ter mais responsabilidade com o dinheiro público”.

6 respostas

Os comentários estão fechados.